sábado, 29 de maio de 2010

...








Vi teu olhar correndo



Seco

Sobre campinas de hortelã

Tua alma forte escorregadia

Encontrava os cheiros acordados do céu...

Vi

Sem querer

Tua boca cega aberta

Tentando beijar a terras empoeiradas

Cobertas de cores mortas




Um sopro sutil nas cores do mundo...




e teus pés sonâmbulos buscando por mim...







Rejane Tach

Um comentário:

Robério Pereira Barreto disse...

Seus pés sonambulos é muito bom! Parabéns! Sua poesia está cada vez mais densa