domingo, 18 de abril de 2010

Soneto decicado ao "REI" - tor... da Unemat

Eis que declina o herói da vil cultura-
Unemat, o magnífico pateta,
um modelo incorrigível de esteta
de infame e inaceitável estrutura.

Fechou-se numa feroz amadura.
No fundo, escravidão absurda e abjeta...
de uma vida que nunca se completa
porque nasceu na fresca sepultura.

Ignorou absurdas contradições,
absorveu infinitas maldições,
insistindo em bater nas mesmas teclas.

E permaneceu cego à luz do fanal
e se tornou a encarnação do mal
sintetizando o ideal dos seus asseclas.




Dante Gatto

Um comentário:

Carlos Alberto disse...

E assim ficamos, a ver navios...
O q queremos não teremos,
Educação de qualidade com o minimo de respeito e dignidade!