terça-feira, 27 de outubro de 2009

FECON

CÉSAR LUIS - MÚSICO
com a obra SANAS LOUCURAS exposta na FECON

Poema dedicado ao meu tio Hilário, morto em 1973...

Anjos
....de pernas muito estiradas
sonolência e imensidão nas entranhas
um copo vazio num padecimento de noite
Nas curvas do corpo
rasgos vermelhos
choro interno silencioso
o grito que não sai...
a luz amarela dos postes
ilude o céu
e
no cérebro um vago com dor
na brancura da boca uma sede
lateja
uma ária triste dorme na rua...
Rejane Tach


Um comentário:

Livia disse...

parabéns Re!!!
Linda a poesia!
Linda a foto!Lindo tudo!!