terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

NO ONTEM UM MOMENTO... PRA SEMPRE TALVEZ UM SABOR...



POR REJNE TACH


Meu coração freneticamente vivo

Respirou teu pulso

Meus olhos salivando

Perturbaram-se junto a tua sede

Que olhava meu frêmito de prazer

Beijo teu orgasmo infindo

E sinto um doce de céu na pele

Plenitude!

Eros me grita aos ouvidos e as fúrias

Escondidas me alucinam

Meu peito rasgando os sentidos

Amou!

Tenho nas mãos o teu sempre

E derramo minhas tintas quentes

No teu corpo alinhado...

Era ontem e a noite caiu silenciosa

Em mim

Com tua boca cantando em meu corpo

Revivi...

Um comentário:

Carlos Alberto disse...

Meu Amor, o sentimento expressado nesse poema, é também por mim sentido, em todos os momentos que ao seu lado estou.Saber como se sente pra mim é maravilhoso,principalmente porque sinto o mesmo.
Beijos.