quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

...é do Celso

COMO É DIFÍCIL ESCUTAR A CHUVA!


a gotas caem, estou vendo
mas não ouço quando batem no chão
a chuva cai e porque, não entendo
dela ouço apenas o trovão

a chuva cai, caio com ela
estou viajando em pensamentos
vendo a chuva e como é bela
já não a vejo assim há tempos

o céu parece tão alcançável
quase o toco num devaneio
de minha loucura - inseparável
companheira de passeio

caia chuva e molhe minha roupa
molhe minh'alma e à lave inteira
leve embora essa sanidade louca
devolve-me o instinto da geração primeira


CELSO JÚNIOR

Um comentário:

Robério Pereira Barreto disse...

Celso, o som da natureza foi emudecido pela correria e invidualismo cotidianos nesse mundo onde é cada um por si, e a natureza e alma humanas que se danem! Parabéns pela percepção poética.