terça-feira, 31 de março de 2009

Só...

...prefiro o silêncio
e
debruçar-me sozinha na imensidão
de mim mesma...

Se tenho nas mãos a candura
vocês não
Se tenho a verdade
vocês a maldade...

Sou única como sempre
uma metade embebida em amor
outra na sinceridade de ser

Compaixão eu sinto agora
por aqueles que amei
nas entrelinhas do universo
confesso
sou inocente!

Rejane Tach

2 comentários:

Letras disse...

Adorei esse poema!

Letras disse...

Rejane prá quem queria ouvir a sua versão da história com certeza esse é poema certo prá ler! Vc fez do sofrimento a arte, e que arte linda! Nossa amei esse poema, j´li umas trezentas vezes ele no site! Parabéns!!!!!!!!! Seu poema é maravilhoso!!